sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Qual é a idade para Deus ?!


Desde que fomos concebidos somos chamados a santidade. Mas a questão é, como respondemos a este chamado?!
Quando somos crianças dizemos que somos muito novos para amar e viver para Deus, a idade é para brincar e se divertir. Como muitos dizem por aí, Igreja não é lugar pra criança... e onde é lugar para criança se não perto do Pai, da Mãe. Eu sempre aprendi que de pequeno que se aprende, mas a sociedade não valoriza mais tal aprendizado para coisas de Deus e sim, supervaloriza o aprendizado supérfluo.
Então, as crianças crescem.. ah, adolescentes podem dar um tempinho a mais para Deus né?! Não, nesta idade deve-se dedicar totalmente aos estudos, aos esportes e novamente não há tempo para Deus.
Os estudos terminam e enfim o jovem pode dedicar sua juventude a Deus?! Não, agora é período de vestibular, faculdade, correr atrás de um emprego, se divertir, curtir a vida.. ‘’ah, não  vou jogar esta bela fase da minha vida no lixo, não vou desperdiçar na Igreja, né..’’
É nisso que todos se enganam, quem entrega sua vida ao Pai não a perde e sim a ganha!
Mas enfim, os anos se passam e a pessoa amadurece, se casa e.. ah, agora sim dá pra fazer uma visitinha a Jesus, correto?! Não! Trabalho o dia inteiro, tenho que cuidar das crianças, e o final de semana  é o único tempo que eu tenho pra cuidar das coisas, arrumar a casa, lavar roupa e descansar, por que ninguém é de ferro, né..
Enquanto isso Jesus vos fala: "filho meu, por que fazes isso contigo. Só Eu tenho palavras de vida eterna. Venha a mim e viverás!"
Mas não, a cada dia que se passa você fica mais distante de Deus e resposta ao seu chamado vai sendo a cada dia mais esquecida.

Ana Carla Torres


 


  "Sou jovem, é verdade, mas a fé não se mede pelos anos e sim pelos sentimentos. Deus mede a alma, não a idade."

terça-feira, 11 de setembro de 2012

No coração da Igreja serei o AMOR


Meus imensos desejos me eram um autêntico martírio. Fui, então, às cartas de São Paulo a ver se encontrava uma resposta. Meus olhos caíram por acaso nos capítulos doze e treze da Primeira Carta aos Coríntios. No primeiro destes, li que todos não podem ser ao mesmo tempo apóstolos, profetas, doutores, e que a Igreja consta de vários membros; os olhos não podem ser mãos ao mesmo tempo. Resposta clara, sem dúvida, mas não capaz de satisfazer meu desejo e dar-me a paz.
Perseverei na leitura sem desanimar e encontrei esta frase sublime: Aspirai aos melhores carismas. E vos indico um caminho ainda mais excelente (1Cor 12,31). O Apóstolo esclarece que os melhores carismas nada são sem a caridade, e esta caridade é o caminho mais excelente que leva com segurança a Deus. Achara enfim o repouso.
Ao considerar o Corpo místico da Igreja, não me encontrara em nenhum dos membros enumerados por São Paulo, mas, ao contrário, desejava ver-me em todos eles. A caridade deu-me o eixo de minha vocação. Compreendi que aIgreja tem um corpo formado de vários membros e neste corpo não pode faltar o membro necessário e mais nobre: entendi que a Igreja tem um coração e este coração está inflamado de amor. Compreendi que os membros daIgreja são impelidos a agir por um único amor, de forma que, extinto este, os apóstolos não mais anunciariam o Evangelho, os mártires não mais derramariam o sangue. Percebi e reconheci que o amor encerra em si todas as vocações, que o amor é tudo, abraça todos os tempos e lugares, numa palavra, o amor é eterno.
Então, delirante de alegria, exclamei: Ó Jesus, meu amor, encontrei afinal minha vocação: minha vocação é o amor. Sim, encontrei o meu lugar na Igreja, tu me deste este lugar, meu Deus. No coração da Igreja, minha mãe, eu serei o amor e desse modo serei tudo, e meu desejo realizará.
Referência: Santa Teresa do Menino Jesus e Sagrada Face. História de uma Alma – manuscritos autobiográficos. São Paulo: Paulinas, 1985, p. 201.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

# YOUCAT




"Estudai o catecismo!
Esse é o desejo do meu coração.
Estudai o catecismo com paixão e perseverança!
Para isso, sacrificai tempo!
Estudai-o no silêncio do vosso quarto,
lede-o enquanto casal se estiverdes namorando,
formai grupos de estudo e redes sociais,
partilhai-o entre vós na Internet!
Tende de saber em que credes.
Tendes de estar enraizados na fé ainda mais profundamente
que a geração de vossos pais,
para enfrentar os desafios e as tentações deste tempo
com força e determinação."

Papa Bento XVI

terça-feira, 26 de junho de 2012

26 de Junho


‎Memória litúrgica de São Josemaría Escrivá, fundador da Opus Dei.

São Josemaria Escrivá, rogai por nós.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

15 de Junho - Solenidade do Sagrado Coração de Jesus


“Junto do Coração de Cristo o coração do homem aprende a conhecer o sentido verdadeiro e único de sua vida e de seu destino, a compreender o valor de uma vida autenticamente cristã, a se preservar de certas perversões do coração humano, a unir o amor filial para com Deus ao amor do próximo… é no Coração de Cristo que o homem recebe a capacidade de amar.” 
Beato João Paulo II

09 de Junho


A Arquidiocese de Niterói ganha mais três presbíteros, rezemos por seus ministérios e para que sejam santos!

- Pe. Rafael Santana, Pe. Pedro Paulo Neves e Pe. Francielo Gasparoni

terça-feira, 10 de abril de 2012

#AFavorDaVida


Convocação: Ação Conjunta contra liberação do aborto!

[Reprodução de email enviado pelo reverendíssimo padre Demétrio Gomes, pedindo ampla e urgente divulgação.]

Caros amigos,
CONVOCAMOS TODOS BLOGUEIROS E INTERNAUTAS CRISTÃOS,  de todas as denominações religiosas, NÃO-CRISTÃOS e TODOS os defensores da vida humana, PARA DIVULGAR E PARTICIPAR DA AÇÃO CONJUNTA CONTRA A LIBERAÇÃO DO ABORTO pelos 11 ministros(as) do STF - Supremo Tribunal Federal.

1 - VIGÍLIA ECUMÊNICA DE ORAÇÃO PRESENCIAL
Dias 10 e 11.04.2012 - Vigília de Oração Ecumênica em frente ao STF - Supremo Tribunal Federal
(a partir das 18:00 horas do dia 10.04.2012)
Participação dos artistas: Elba Ramalho e Nael de Freitas

2 - VIGÍLIA de ORAÇÃO pela VIDA nas DIOCESES
CNBB convoca VIGÍLIA de ORAÇÃO pela VIDA em TODAS AS DIOCESES DO BRASIL
Dia 10.04.2012 a partir das 18:00 horas

3 - TWITAÇO VIGÍLIA - #abortonuncamais
A partir das 18:00 horas do do dia 10.04.2012, durante toda a noite e durante todo o dia 11.04.2012, até o término do julgamento no STF

4 - FACEBOOK E OUTRAS MÍDIAS
Direito à vida aos anencéfalos - Aborto nunca - Saúde para proteger mulher da morte Materna - CPI da VERDADE sobre o ABORTO,JÁ!

5 - ENVIO DE EMAILS
A partir das 9:00 horas, nos dias 10 e 11.04.2012 até o término do julgamento - envio de emails para os Ministros do STF - Emails dos ministros e TEXTOS abaixo:

EMAILS DOS MINISTROS
mgilmar@stf.jus.br, mgilmar@stf.gov.br, 
mcelso@stf.jus.br, mcelso@stf.gov.br,
marcoaurelio@stf.jus.br,
gabinete-lewandowski@stf.gov.br,
anavt@stf.gov.br, anavt@stf.jus.br,
carlak@stf.gov.br, carlak@stf.jus.br,
gabminjoaquim@stf.jus.br, gabcob@stf.jus.br, audienciacarmen@stf.jus.br,
audienciasgilmarmendes@stf.jus.br
gabinete-lewandowski@stf.jus.br,
gabineteluizfux@stf.jus.br
gabmtoffoli@stf.jus.br

MODELO n. 01 de TEXTO DE EMAIL PARA OS MINISTROS
"Exmo(a) Senhor(a) Ministro(a) do Supremo Tribunal Federal:
1 - Não concordo com a possibilidade do aborto de bebês anencefálicos e cujo julgamento está marcado para o dia 11 de abril.
2 - A liberação do assassinato de bebês anencéfalos não resolve a principal do problema, apontada pela medicina brasileira: a falta de ácido fólico na época da gestação. Em vez de matar os bebês, melhor será obrigar os governos a dar condição alimentar especial para as gestantes, a partir da fecundação do óvulo.
3 - A liberação do aborto de anencéfalos fere a dignidade humana, pois o bebê apresenta de fato uma má-formação, porém ele não está em morte cerebral. Seguindo o protocolo de definição de morte cerebral para recém nascidos (que, aliás, apresenta particularidades diferentes do protocolo de adultos) não se chega à conclusão de morte encefálica, pois nenhuma técnica pode preencher as exigências legais para comprovar a morte cerebral de um feto vivo, dentro do útero. Inclusive, é de conhecimento público que a Associação Médica dos E.U.A. suspendeu a autorização de doação de órgãos nestes casos, exatamente por não ser possível diagnosticar a morte cerebral das crianças portadoras de anencefalia durante a gravidez ou depois do nascimento, pelo fato de estarem vivas.
4 - Não existe risco de morte para gestante. O argumento de que a gestação de fetos com anencefalia é um risco de morte para a mãe não procede com a literatura da Obstetrícia clássica. Os riscos físicos e para o futuro obstétrico da mãe são menores se houver a espera do desenlace natural da gestação, com acompanhamento médico.
5 - O aborto provocado em qualquer época da gestação é que traz sérios riscos à mãe. Não há base sólida em argumentos médicos e psicológicos para ser solicitada a liberação do aborto no caso de bebês anencefálicos.
6 - É evidente a ingerência de interesses internacionais na liberação do aborto e no uso político das expectativas dessas mães para chegar a esse objetivo.
7 - Por isso, solicitamos de V. Excia que vote NÃO à interrupção da gravidez de bebês com anencefalia, e SIM ao acompanhamento ALIMENTAR, MÉDICO E PSICOLÓGICO das gestantes, as grandes vítimas dessa CULTURA DA MORTE que pretendem implantar no Brasil, com a ajuda da mais Alta Corte Brasileira.
Atenciosamente, _____________________"

MODELO n. 02 de TEXTO DE EMAIL PARA OS MINISTROS:
Excelentíssimos Senhores Ministros do Supremo Tribunal Federal, antes de julgarem a ADPF 54 sobre o aborto dos bebês anencéfalos, peço leiam o que tenho a dizer:
"...Mas, se ergues da justiça a clava forte, Verás que um filho teu não foge à luta, Nem teme, quem te adora, a própria morte..."
Eu, ________________________, venho por meio desta carta manifestar que sou contrário(a) ao aborto em todas as circunstâncias, inclusive nos casos em que o feto é portador de anencefalia.
A vida é o maior dom que dispomos e não compete a ninguém o poder de  tirá-la.
Em um Estado Democrático de Direito, é preciso  que seja resguardado o primeiro e mais importante Direito Fundamental, o Direito de Viver, sem o qual não se pode obter os demais direitos à saúde, educação, moradia, alimentação e lazer.
Não pode haver justiça numa decisão que opta por retirar a vida de seres inocentes, que se encontram numa situação de tamanha fragilidade como a dos bebês anencéfalos.
É pela vida do bebê e pelo bem-estar da mãe que lutamos.
O Estado deve zelar pelos cuidados para com a gestante e o bebê providenciando o conforto possível e todos os cuidados paliativos cabíveis, de maneira a aliviar o sofrimento. Além disso, devem ser implementadas medidas preventivas (vide art. 198, inc.II da CRFB/88) no sentido de propiciar a ingestão diária de ácido fólico por parte das mulheres em idade fértil, por ser este um meio comprovadamente eficaz de prevenção ás malformações do tubo neural, dentre as quais se encontra a anencefalia ou, como mais corretamente denominada meroanencefalia (ausência parcial do encéfalo).
Defendemos qua a mãe possa descobrir a importância do seu papel materno no chamado a amar seu filho, mesmo que ele esteja doente ou tenha pouca expectativa de vida.
A vida, mesmo que breve, merece ser vivida com intensidade e amor.
Esta é uma carta de quem ama a vida e luta para que todos tenham vida e a tenham em abundância.
Atenciosamente,
_______________________________
(Assinatura)

Envie este email para todos os seus conhecidos, amigos, parentes.
Seja você também um defensor da vida humana!

"O País que mata os seus filhos não tem futuro" 
(Papa João Paulo II, no Brasil)

sábado, 24 de março de 2012

Abraço de Pai - Walmir Alencar

 

Quanto eu esperei!
Ansioso queria te ver
E te falar o que há em mim
Já não podia me conter


Me decidi, Senhor
Hoje quero rasgar meu viver
E te mostrar meu coração
Tudo que tenho e sou


E por mais que me falem, não vou desistir!
Eu sei que nada sou, por isso estou aqui
Mas eu sei que o amor que o Senhor tem por mim
É muito mais que o meu, sou gota derramada no mar


Quanto tempo também o Senhor me esperou
Nas tardes encontrou saudade em meu lugar
Mas ao me ver na estrada ao longe voltar
Num salto se alegrou e foi correndo me encontrar

E não me perguntou nem por onde eu andei
Dos bens que eu gastei, mais nada me restou
Mas olhando em meus olhos somente me amou
E ao me beijar, me acolheu num abraço de pai


quarta-feira, 21 de março de 2012

Pai Nosso


Se em minha vida não tomo atitudes como filho de Deus, fechando meu coração ao amor. Será inútil dizer "Pai Nosso".
Se os meus valores são representados pelos bens da terra. Será inútil dizer "que estais nos céus".
Se penso apenas em ser cristão por medo, superstição e comodismo. Será inútil dizer "santificado seja o vosso nome".
Se acho tão sedutora a vida aqui, cheia de supérfluos e futilidades. Será inútil dizer "venha a nós o vosso reino".
Se no fundo desejo mesmo é que todos os meus desejos se realizem. Será inútil dizer "seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu".
Se prefiro acumular riquezas, desprezando meus irmãos que passam fome. Será inútil dizer "o pão nosso de cada dia nos dai hoje".
Se não me importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar aos que atravessam o meu caminho. Será inútil dizer "perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido".
Se escolho sempre o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho de Deus. Será inútil dizer "e não nos deixeis cair em tentação".
Se por minha própria vontade procuro os prazeres materiais, e se tudo o que é proibido me seduz. Será inútil dizer "livrai-nos do mal".
Se sabendo que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para modificar. Será inútil dizer "Amém".

E você, tem feito o que reza? Como anda agindo? Acredite que você pode mudar com o auxílio de Deus.

Recarregue sua FÉ!


Carro sem bateria não funciona. Homem sem Fé não consegue dar passos para viver!
Fé é uma palavra simples e pequenininha capaz de comandar a nossa vida, sem ela comprometemos o nosso dia a dia. Ela dá forças ao ser humano! Em um carro só percebemos que a “bateria está fraca” quando, ao dar partida, ele não funciona. Muitos de nós já vivenciamos isso! Quando isso acontece sempre chamamos alguém para nos ajudar a empurrar fazendo "pegar no tranco", mesmo sabendo que a melhor solução é colocar bateria nova. Vivemos, muitas vezes, “empurrando-nos” , “aos trancos e barrancos”.
A bateria está no carro, mas não funciona porque acabou a carga. Da mesma forma, a fé está em nós, mas vários fatores contribuem para não acreditarmos nisso e, então, paramos também de “funcionar!”
Ligue-se frequentemente a Deus, falar com Ele é simples! Quando estamos precisando falar com alguém rapidamente acionamos o celular. Assim é com Deus, em qualquer lugar e seja o que for que você estiver vivendo Ele entra de cheio em ação para socorrê-lo. Carregue a sua fé em Jesus! A "bateria é recarregada", é alimentada na Bíblia, na Santa Missa e na Adoração Eucarística, só assim continuaremos prontos para caminhar em meio à escuridão, em meio aos sufocos, em meio às crises.
Que  a Eucaristia e a Palavra de Deus o fortaleçam e o encorajem para conduzir os seus passos por muitos e muitos quilômetros na Fé. Não se amedronte.
Sem Fé não conseguimos dar passos para viver!

terça-feira, 20 de março de 2012

Crescer para agradecer


Quando éramos pequenos e ganhávamos um presente, logo ficávamos animados e inquietos com toda a novidade. Assim, facilmente esquecíamos de lado a pessoa que nos havia presenteado e saíamos aproveitando todas as alegrias que aquele novo presente poderia oferecer.
Por graça de Deus e para “estragar o nosso barato”, tínhamos a mamãe que logo vinha interromper nossa farra e nos exortava: “Como é que a gente diz pro titio?”. Por força da obediência, para não dizer por pura força do castigo, tínhamos que responder prontamente: “Obrigado, tio!”. Nosso rosto e nossa expressão não escondiam a clara obrigação do gesto!
No entanto, crescemos. Hoje, já não mais precisamos da mamãe para nos lembrar a gratidão, nosso amadurecimento nos fez gratos. Para nós, é uma verdadeira alegria agradecer os presentes que recebemos de nossos irmãos. Procuramos sempre reconhecer seus esforços em vista de nossas vidas.
No intuito de cultivar e prolongar nossas amizades, nós “fazemos questão” de nos mostrarmos agradecidos e solícitos a eles. Temos grande alegria em partilhar nossas vidas e oferecer nossos dons aos nossos amigos. Que entusiasmo quando descobrimos seus gostos e predileções!
Porém, da mesma forma que acontecia com os “tios” da nossa infância, hoje fazemos com Deus. Ao recebermos inúmeros presentes de suas mãos, dizemos, por pura força da obrigação: “Obrigado, Jesus!”, sem, muitas vezes, colocarmos toda a sinceridade do nosso coração nesse gesto. Acabamos agradecendo Àquele que tanto nos dá de forma apática e mecânica.
Por que não cultivamos, da mesma forma que com nossos irmãos, nossa amizade com Deus? Por que tantas vezes saímos correndo com a “graça de Deus” sem mesmo olhar para Ele? Por que ainda justificamos a nossa ingratidão com as nossas ocupações e esquecimentos? Por que continuamos com os agradecimentos forçados e infantis diante dos presentes que d´Ele recebemos?
É hora de despertarmos para esta bela amizade com o nosso Amado. Nós crescemos, ganhamos maturidade humana e espiritual. E isto tem transbordado em nossas vidas e em nossos relacionamentos, através de gestos concretos.
Ao olharmos para trás, vemos que não foi fácil aprendermos a nos relacionar com as pessoas. Vivemos as decepções e os recomeços. Muitos de nós jovens trazemos até hoje as marcas desse aprendizado. No relacionamento com Jesus não é diferente!
É Deus quem se inclina a nós e aguarda ansiosamente o nosso olhar. A amizade com Ele vai exigir de nós empenho e amor, como já aprendemos e experimentamos. Ele não nos promete uma via fácil. O caminho para uma amizade sincera é de sacrifícios e de renúncias, mas nós já conhecemos as muitas flores que brotam à beira da estrada. Investir em uma união com Deus é apostar na certeza da felicidade.
Está em tempo de nos abrirmos a Cristo. A partir de uma experiência com o Ressuscitado que passou pela Cruz, cresceremos na intimidade com Deus. Mesmo que a nossa gratidão a Ele ainda seja mecânica, ou até mesmo forçada, podemos, sim, crescer nessa amizade começando pelo louvor sincero. 
Inicialmente veremos apenas uma pequena lista de presentes recebidos. Com o tempo e, através do louvor, essa pequenina lista se tornará um grande livro, que, aos poucos, contará a história das nossas vidas.
Investindo nessa amizade, em pouco tempo teremos verdadeira gratidão a Deus. E, com os corações inflamados dessa gratidão, poderemos, então, fazer a oferta generosa das nossas vidas e dos nossos dons ao nosso Amado.

Lorena Soares
Missionária da Com. Católica Shalom

segunda-feira, 19 de março de 2012

# Charges :D


Ser Jovem

O General Mac Arthur teve oportunidade de se pronunciar a respeito das fases da vida e o fez nos seguintes termos:
"A juventude não é um período da vida. Ela é um estado de espírito, um efeito da vontade, uma qualidade da imaginação. É uma intensidade emotiva, uma vitória da coragem sobre a timidez, do gosto da aventura sobre o amor ao conforto. Não é por termos vivido um certo número de anos que envelhecemos. Envelhecemos porque abandonamos o nosso ideal. Os anos enrugam o rosto. Renunciar ao ideal enruga a alma. As preocupações, as dúvidas, os temores e os desesperos são os inimigos que lentamente nos inclinam para a terra e nos tornam pó antes da morte. Jovem é aquele que se admira, que se maravilha e pergunta, como a criança insaciável: E depois? É aquele que desafia os acontecimentos e encontra alegria no jogo da vida."
Considerando tudo isto, com certeza, é que Malba Tahan dizia que não importava se tem noventa, trinta ou dezessete anos.
Porque, afirmava, só o homem comum envelhece com o passar dos dias e dos anos.
O Espírito superior, porém, indiferente ao escoar do tempo, só envelhece com o aniquilamento das suas ilusões e com o abandono de seus sonhos.
A mocidade é medida pela confiança e pelo esplendor dos seus sonhos. Pode-se ser jovem com a própria fé, a coragem, que ultrapassa a timidez.
Pode-se ser velho com nosso próprio medo. A velhice se implanta quando a ânsia de aventura é vencida pelo desânimo e a pessoa somente deseja ficar repousando, viver tranqüila.
Assim, seremos jovens enquanto nos conservarmos receptivos às mensagens da natureza. Enquanto tivermos olhos de ver a diversidade infinita de cores da paisagem.
Enquanto tivermos ouvidos de ouvir a melodia do vento nos ramos do salgueiro e o tamborilar da chuva no telhado, escorrendo pela calha.
Seremos jovens enquanto nos deixarmos arrebatar por tudo que é belo, bom, grande.
Enquanto o verde da esperança predominar na policromia da nossa alma. Enquanto o desânimo não conseguir adentrar a porta do coração e a preguiça não dominar a mente.
Enquanto tivermos forças para tecer a colcha de retalhos da nossa vida com sentimentos positivos: um quadradinho azul de amor, um quadradinho rosa de perdão. Um retalhinho lilás de compreensão. Um arremate branco de amizade.
Se você tem um trabalho para cansar, uma tristeza para sentir, uma comida da qual reclamar, não se permita enrugar, envelhecendo.
Se o seu sonho foi desfeito, permita-se outros sonhos e siga em frente.
Lembre-se de agradecer a Deus, por tudo, pois existem muitos que dariam tudo para estar no seu lugar.

domingo, 18 de março de 2012

Cultive as boas amizades


Uma amizade só é verdadeira se baseada na fidelidade

Não preciso falar aqui da importância de cultivar as boas amizades para ser feliz. Milan Kundera diz que “toda amizade é uma aliança contra a adversidade, aliança sem a qual o ser humano ficaria desarmado contra seus inimigos. Os amigos recentes custam a perceber essa aliança, não valorizam ainda o que está sendo contraído. São amizades não testadas pelo tempo, não se sabe se enfrentarão com solidez as tempestades ou se serão varridos numa chuva de verão.”
A verdadeira amizade nos socorre quando menos esperamos! Podemos esquecer aquele com quem rimos muito, mas nunca nos esqueceremos daqueles com quem choramos. Os corações que as tristezas unem permanecem unidos para sempre.
Na prosperidade, os verdadeiros amigos esperam ser chamados; na adversidade, apresentam-se espontaneamente. A fortuna faz amigos. A desgraça prova se eles existem de fato. É preciso saber fazer e cultivar amizades. Isso depende de cada um de nós; antes de tudo, do nosso desprendimento e fidelidade ao outro. Para conquistar um amigo é preciso criar um “deserto” dentro de si, aceitando que o outro venha ocupá-lo.
Acolher o amigo é, em primeiro lugar, ouvi-lo. Alguns morrem sem nunca ter encontrado alguém que lhes tenha prestado a homenagem de calar-se totalmente para ouvi-los. São poucos os que sabem ouvir, porque poucos estão vazios de si mesmos, e o seu "eu" faz muito barulho. Se você souber ouvir, muitos virão lhe fazer confidências.
Muitas pessoas se queixam da falta de amigos, mas poucos se preocupam em realizar em si as qualidades próprias para conquistar amizades e conservá-las.
Se você quiser ser agradável às pessoas, fale a elas daquilo que lhes interessa e não daquilo que interessa a você. A amizade é alimentada pelo diálogo; que é uma troca de ideias em busca da verdade; muito diferente da discussão, que é uma luta entre dois, na qual cada um defende a sua opinião.
A verdadeira amizade não pode ser alimentada pela discussão, somente pelo diálogo.
Em vez de demonstrar exaustivamente que o amigo está errado, ajude-o a descobrir a verdade por si mesmo; isso é muito mais nobre e pedagógico.
Se você quiser agir sobre seu amigo, de verdade, para que ele mude, comece por amá-lo sincera e desinteressadamente.
A amizade também exige que se corrija o amigo que erra; mas devemos censurar os amigos na intimidade; e elogiá-los em público. Nada é tão nocivo a uma amizade como a crítica ao amigo na frente de outras pessoas; isso humilha e destrói a confiança. Nunca desista de ajudar o amigo a vencer uma batalha; não há nem haverá alguém que tenha caído tão baixo que esteja fora do alcance do amor infinito de Deus e do nosso socorro.
Uma amizade só é verdadeira e duradoura se é baseada na fidelidade. Cuidado, pois para magoar alguém são necessários um inimigo e um amigo: o inimigo para caluniar e um “amigo” para transmitir a calúnia.
(Trecho extraído do livro “Para ser feliz”)

Prof. Felipe Aquino

sábado, 17 de março de 2012

# Charges :D


A vida não é uma balada!


    O direito de se divertir e encontrar os amigos para algumas horas de distração  juntos, nunca pode tirar, da consciência, o dever de cuidar-se e cuidar dos outros. Os encontros sempre foram uma oportunidade bonita de estreitar laços de amizade e construir relacionamentos verdadeiros. As baladas são uma oportunidade positiva, para quem tem a cabeça no lugar, assim outros ambientes sociais, e podem conduzir a uma verdadeira vivência dos valores da vida humana, como por exemplo a amizade, o respeito e a valorização do outro e da vida. Somos ou não somos corresponsáveis para criar um mundo melhor? Acreditamos ou não que a vida é presente de Deus e que deve ser preservada a todo custo?
    Diante de tantos fatos de jovens se matando no trânsito, excedendo em bebida alcoólica,  em drogas que afetam diretamente a consciência e o correto uso da razão; diante das reuniões exclusivas para determinados grupos sociais; diante da diversidade de opções que levam jovens ou adultos a viverem alienados em um mundo ilusório, acreditando serem felizes, pergunto: Quantas vidas foram e estão sendo ceifadas, a cada dia, por causa dos abusos e extravagâncias? Como convencer esta gente que pensa que a vida não vale nada? Como os pais podem ficar tranquilos em casa em um fim de semana, sem ver os filhos de volta? Quando e como voltam? Quantos não voltaram, senão em um carro funerário!
    Como parte deste mundo imundo, não podemos estar de braços cruzados. Muitas iniciativas foram tomadas e estão sendo levadas a bom termo. Atitudes de repressão, como também de educação e de prevenção, são realizadas em todos os ambientes, com o objetivo de proporcionar qualidade de vida e favorecer a construção de uma sociedade cada vez mais solidária e segura.  Além de todo o trabalho feito, a prevenção e a verdadeira educação vêm da família, onde, desde pequenos, aprendem a viver os limites da vida, onde aprendem o quanto vale cada coisa que usam, sabem de onde veio e quanto suor custou. Ao mesmo tempo, aprendem, com os pais, o caminho da igreja, do amor e o temor de Deus. Desde o colo materno e paterno os pequenos aprendem que a vida vale mais, que acima de tudo temos um Deus que nos ama e nos quer ver felizes, aqui e na eternidade.
    Sem querer fazer dos filhos estátuas ou múmias sem sentimentos ou desejos, os pais devem, como missão, oferecer um caminho onde saibam valorizar o pouco, onde saibam viver na abundância e na carência, onde aprendam deste a tenra idade a orar e dobrar os joelhos, reconhecer que não estão sozinhos. Ninguém pode furtar-se a esse dever. É puro engano pensar: Vou deixar meus filhos crescerem e quando grande eles decidem o que querem seguir. A primeira escola, a primeira igreja, a primeira professora, o primeiro catequista é a sua casa, é o seu colo, é sua experiência de Deus. Quantos pais e mães, vazios de Deus, sem nenhuma experiência espiritual para apresentar aos filhos! Ninguém dá o que não tem.  Com certeza, muitos deram tudo, menos o essencial. Com certeza, muitos não tinham nada e deram o que tinham: o amor e o carinho de quem acredita que a vida é dom de  Deus Pai. Assim vamos contemplar um mundo, onde a morte não ocupa o primeiro lugar e nem nossas ruas ficarão manchadas de sangue de inocentes e de irresponsáveis que matam e morrem. A vida não é uma balada.
Dom Anuar Battisti

quinta-feira, 15 de março de 2012

6 Dicas de Ouro para as Mulheres

1. Vista-se de acordo com a sua dignidade como mulher e como ser humano. Não ande por aí passando a mensagem de que o seu corpo é sua melhor – ou a única – parte. Se o que chama atenção em você é o que salta do decote, suas pernas à mostra e os quadris em destaque, isso certamente ofusca sua inteligência, seu coração, sua alma. Para os homens, fica difícil não pensar em você como um mero objeto de prazer sexual.
2. Evite roupas que deixem os homens apreciarem partes do seu corpo que são muito especiais e não foram feitas para que o mundo inteiro visse. Lembre-se de que o pudor preserva a intimidade e o mistério. Ele é algo natural, que existe desde que somos ainda crianças e procuramos cobrir certas partes do corpo, não porque sejam más, mas porque, ao mostrá-las ou insinuá-las, elas podem ofuscar o bem maior da pessoa e acabar com o mistério. Vestir-se com modéstia, sem insinuações sexuais, e ter pudor nas conversas não é fugir do amor; ao contrário, é abrir-se para um amor verdadeiro. É permitir ser enxergada como uma pessoa completa, não apenas como um corpo.
3. Não se deixe enganar pela mídia, pelas vitrines e pelas revistas de moda. Elas estão relacionadas a interesses comerciais e não mandam no seu vestuário nem têm o direito de ditar padrões de beleza ou de propor a perfeição do corpo como algo desejável ou mesmo obrigatório.
4. Seja original. Você é única e especial. Aproveite esse enorme dom e busque o que há de genuíno e original em você. Qual a razão de querer tanto ter o corpo escultural da moça da novela, o andar da modelo famosa, as roupas escandalosas daquela cantora? A atitude de originalidade revela força e personalidade: e isso com certeza levará os outros a respeitarem você, ainda que alguns possam tratá-la com preconceito e inveja.
5. Deixe os homens serem cavalheiros. Quando um homem abre uma porta para você ou se oferece para carregar algo, ele não está dizendo que você é incapaz de fazê-lo. Está dizendo que quer honrar sua dignidade de mulher com um gesto simples e delicado.
6. Não se deixe rebaixar. A vontade de conseguir um bom namorado ou marido não pode fazer que você baixe seus padrões. Busque sempre um homem que saiba respeitar você. Ele existe! Mas se você se rebaixar e não souber se dar ao respeito, ele jamais se sentirá desafiado a ser um homem melhor e mais digno.


Fonte: Blog Humanizando o Sexo

quarta-feira, 14 de março de 2012

Beato João Paulo II


"A tentação hoje é reduzir o cristianismo a uma sabedoria meramente humana, como se fosse a ciência do bom viver. Num mundo fortemente secularizado, surgiu uma « gradual secularização da salvação », onde se procura lutar, sem dúvida, pelo homem, mas por um homem dividido a meio, reduzido unicamente à dimensão horizontal. Ora nós sabemos que Jesus veio trazer a salvação integral, que abrange o homem todo e todos os homens, abrindo-lhes os horizontes admiráveis da filiação divina."

A indecisão não é de Deus!

  
"Havia um grande muro separando dois grandes grupos. De um lado do muro estavam Deus, os anjos e os servos leais de Deus. Do outro lado do muro estavam Satanás e seus demônios. E em cima do muro havia um jovem indeciso, que havia sido criado num lar cristão, mas que agora estava em dúvida se continuaria servindo a Deus ou se deveria aproveitar um pouco os prazeres do mundo.
O jovem indeciso observou que o grupo do lado de Deus chamava e gritava sem parar para ele:
– Ei, desce do muro agora… Vem pra cá!
Já o grupo de Satanás não gritava e nem dizia nada. Essa situação continuou por um tempo, até que o jovem indeciso resolveu perguntar a Satanás:
– O grupo do lado de Deus fica o tempo todo me chamando para descer e ficar do lado deles. Por que você e seu grupo não me chamam e nem dizem nada para me convencer a descer para o lado de vocês?
Grande foi à surpresa do jovem quando Satanás respondeu:
– É porque o muro é MEU!



________________________________________________________________________

Você não pode se afirmar católico se não crê no que a Igreja prega.  A Igreja não vai se moldar aos seus pensamentos apenas porque você não está satisfeito com os mandamentos do próprio Cristo. Para ser católico não basta apenas ser batizado e ir a missa aos domingos, para se afirmar católico, seja um católico que ama, crê, prega sua fé, sua Igreja! 
O dono do muro não é nem um pouco amigável, e lembre-se: os mornos Jesus vomita!

E então, de que lado você vai ficar ?!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

O Amor é o seu nome e o seu rosto

Certamente se a gente fizesse uma pesquisa aqui no blog pedindo aos leitores que definissem, em uma palavra, quem é Deus, não demoraria muito e alguém diria: Deus é amor!
Isso até me faz lembrar da música “Quem é esse Deus?” da Comunidade Católica Shalom. Tem um verso que canta: “Quem é esse Deus que o amor é o seu nome e o seu rosto?”
Antigamente, muitas vezes percebíamos a frase ‘Deus é amor!’ nos adesivos dos carros e letreiros espalhados pela cidade... Inclusive nosso saudoso Papa Bento XVI, no início de seu pontificado escreveu uma Carta Encíclica chamada Deus Caritas est, ou, traduzindo, Deus é amor!
De fato, isto é uma grande verdade, que podemos experimentar a cada dia.
Pois se Deus é amor, logicamente a única coisa que Ele pode fazer é amar, amar e amar...
Então, este é um post sobre o Amor de Deus!
Hoje no Facebook é comum as pessoas postarem imagens de brincadeiras e de brinquedos antigos acompanhados do texto, ‘se você fez isto, teve infância’, ou então, ‘se você teve um desse, você teve infância’.  Na mesma onda eu vou dizer: se você ouviu sua mãe ou outra pessoa dizer ‘não faz isso que Deus castiga’, você teve infância. Sim, porque as pessoas utilizam desta tática “terrorista” para “ajudar” na nossa educação, e com isto, desde criança nós nos acostumamos à figura de um Deus vingativo, que castiga quem não faz a sua vontade.
Sem falar que muitas vezes, quando ainda estamos na catequese, aprendendo sobre o Velho e o Novo Testamento, vamos percebendo que parece que o Deus que é apresentado no Velho  Testamento é um, e o que é apresentado no Novo é outro. O primeiro é Criador, mas vingativo, que põe fogo e que inunda, conforme sua própria vontade, e o segundo por sua vez já é amoroso, capaz de se doar na cruz para nos resgatar etc. Evidentemente, está é uma visão deturpada da História de Amor de Deus. De fato, estamos falando de um único Deus que nunca deixou de nos amar, que sempre esteve do nosso lado e que sempre agiu unicamente por amor para que o bem prevalecesse. Foram várias tentativas de resgatar o homem para si. Deus nos ama como um Pai zeloso e amoroso, mas que, como qualquer outro pai, se for preciso corrige seus filhos porque deseja o melhor para cada um. Um Pai que dá aquilo que o Filho precisa e não, necessariamente, o que o filho quer e na hora que deseja. Como disse Santo Agostinho: “Deus não permite um mal menor se não consegue tirar disso um bem maior.” 
O amor de Deus por nós é infinito, sem limites, sem condições... Deus não impõe condições para nos amar... Por isso, tanto aquele jovem que não está nem aí para Jesus, como aquele que não vive sem Jesus são amados, infinitamente, da mesma forma, por Deus.
Quem ama não vê limites, como lembra Santo Agostinho: “A medida do amor, é amar sem medida!” E assim também aconteceu com Deus, Ele não viu limites. A conseqüência extrema do amor de Deus por nós foi a entrega de seu único Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, para que a humanidade fosse resgatada de uma vez por todas. Conforme está escrito na Palavra: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3,16) 
Se Deus nos ama com amor de Pai, de forma incondicional e infinita, porque não experimentarmos do seu amor?

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Princípios de uma amizade verdadeira

Amigo fiel é uma poderosa proteção, quem encontrou esse amigo descobriu um tesouro”. (Cf. Ecl 6, 14) A verdadeira amizade consiste em pessoas que foram unidas por Deus para viver uma comunhão de vida, trilhar um caminho, desafios, conquistas. Pois a amizade cristã é um Dom e nasce da amizade com Deus. Hoje as pessoas carecem de verdadeiros relacionamentos, pautados na Verdade e no crescimento humano e espiritual. Uma verdadeira amizade não tem preço, se conquista, e se cativa dia a dia: “Ao amigo fiel não há nada que se compare, pois nada equivale ao bem que ele é”. (Ecl 6,15). Por isso, acredito que Deus me inspirou esse propósito, para vivermos melhor e com maior profundidade o sentido de uma verdadeira amizade. Deus me inspirou no encontro com alguns amigos estes simples princípios para que nós pudéssemos viver melhor nossa amizade:

1 - Estreitaremos os laços de amizade, partindo de que a amizade é uma coisa Divina, um Dom de Deus para caminharmos nesta terra. Por isso, não viveremos nada sozinhos, sempre estaremos em comunhão vivendo o princípio da partilha e da transparência;
2 – A Oração será o primeiro meio de nos comunicarmos e de intercedermos uns pelos outros. Alimentaremos nossa amizade e cresceremos no conhecimento e no amor através na oração. Por excelência na Santa Eucaristia, celebrada e adorada onde levaremos nossas causas para o altar do Senhor. Aqui entra a intercessão do nosso amigo São Pe Pio. Outra oração simples que nos acompanhará será o Terço com a Virgem Maria, apresentaremos tudo a Nossa Senhora como os serventes das bodas de Caná fizeram e ela intercederá a Jesus por nós. A Oração será o primeiro Alimento de nossa amizade.
3 – Nosso objetivo é alcançarmos juntos a santidade e a felicidade. Viver bem nossa caminhada, nossa vocação e vida cristã como cidadãos no mundo. É bom saber: EU NUNCA ESTOU SOZINHO! Pois o nosso melhor amigo disse: “Eu não vos deixarei órfãos, mandarei o Espírito Santo”. E disse também: “Estarei convosco até os fins dos tempos!”.
4 – Um dos sentimentos mais nobres da verdadeira amizade são a liberdade e a verdade que se tem com a pessoa amiga, com os amigos somos o que somos sem medo de não sermos aceitos. Ao mesmo tempo aquele que deseja crescer numa amizade precisa ter o coração aberto para acolher a direção e formação que nos vêem pela liberdade e verdade do outro. Pois o amigo é nas mãos de Deus um instrumento que nos lapida a alma. O amigo é o garimpeiro das preciosidades do nosso coração.
5 – Respeito e a confiança são fundamentais em qualquer relacionamento, por eles você consegue abrir os olhos, mudar os pensamentos e convencer o coração de qualquer amigo. Respeito e confiança só se adquirem com o tempo, “depois que você comeu um ‘kilo de sal’ juntos”;
6 – Para nunca estagnar no crescimento da amizade é preciso viver um principio do Pequeno Príncipe: “Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas” (O Pequeno Príncipe Saint-Exupéry). O amigo é alguém que nós vamos conquistando todos os dias, quando achamos que já conhecemos tudo ainda não conhecemos nada. É uma nascente de água, quanto mais cavamos mais brota.
É simples e é maravilhoso saber que eu tenho amigos que fazem comigo uma caminhada, que nos levará para o céu… As pessoas que estreitaram entre si os laços são trazidas por Deus de maneira simples e reveladas ao coração, não porque elas merecem, mas porque elas precisam, por isso, são pessoas escolhidas, vocacionadas a amizade. A vida cristã e o Carisma Canção Nova me deram à oportunidade de fazer verdadeiras e profundas amizades, que me ajudam a crescer, a conhecer mais a Deus e a mim mesmo, a melhor servir a Jesus meu mestre e meu melhor amigo. Hoje eu rezo por todos os meus amigos que conquistei e me conquistaram durante todos estes anos de caminhada. “Amigo fiel é elixir de vida longa e feliz”.
Sejam bem vindos todos que acreditam na força do Amor, da Oração e da amizade, porque com elas conquistaremos o Céu. A maior Força do mundo é o Amor!
 
Fonte: Blog Lance Santidade

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O AMOR Conquista Tudo!

Dave era um garoto normal do Texas, que fazia o ensino médio, e gostava de mexer em carros. Ele tinha uma boa família cristã e cresceu aprendendo a ser fiel a Deus, à família e ao país. A garota que ele gostava na escola, Brenda, achava que ele era um pouco exagerado, quando um dia ele falou para ela no corredor do colégio que a amava. Ela deu um tapa na cara dele, pedindo para nunca mais repetir aquilo, a não ser que fosse de verdade.

Alguns anos depois, depois de ter passado mais tempo com ela – namorando com pureza, e mostrando que ele realmente se importava – Dave pediu Brenda em casamento. Ela disse sim, e pouco depois, estavam casados. Então, um dia chegou uma carta: Dave tinha sido chamado para servir no exército durante a guerra do Vietnam. Como não queria descumprir a ordem, e também não queria morrer, Dave escolheu a Marinha, imaginando que isso lhe traria mais segurança, por estar na água, ao invés de se meter em combate na selva. Logo ele descobriu que tinha sido selecionado para servir em uma unidade especial da Marinha, atuante em rios. Depois de um treinamento rigoroso de patrulhamento de rio, Dave teve uma folga de 10 dias para ir para casa. Ele aproveitou o tempo com Brenda, e no dia da partida para o Vietnam ele beijou Brenda e prometeu: “Bebê, eu vou voltar sem nenhuma cicatriz”. Mal sabia que a palavra “cicatriz” teria um novo significado para ele.

Ele voou para o Vietnam, onde serviu na linha de frente contra os vietcongues. Nos oito meses que se seguiram, Dave manteve sua fé. Ele foi treinado para se manter fiel aos homens com que servia, e a sua mulher, Brenda. Enquanto muitos outros soldados cediam e se entregavam a aventuras com drogas, pornografia, ou prostitutas, Dave manteve-se firme em seus votos. Ele estava apaixonado, e guardava todas as premiações para dar de presente a Brenda – dinheiro que ele guardava para ela, ao invés de gastar em atos frívolos de auto satisfação.

Faltando apenas uma semana para receber uma viagem paga ao Havaí para aproveitar com Brenda cinco dias de uma segunda lua de mel, durante um intenso tiroteio em 25 de julho de 1969, com os vietcongues bem próximos, a unidade de Dave sofreu uma emboscada. Seus colegas sobreviveram ao ataque, mas alguma coisa (uma bala ou um estilhaço) deixou uma pequena marca em sua bochecha. Dave tirou o pedaço de metal sem dificuldade, e agradeceu por estar vivo. Mas essa era uma pequena cicatriz. Seria o próximo dia que mudaria sua vida para sempre.

Era 26 de julho de 1969, perto da fronteira com o Camboja, quando a unidade de Dave subiu o rio para fazer o patrulhamento da mesma área onde tinha ocorrido o intenso combate do dia anterior. Enquanto o barco deslizava suavemente, tudo estava quieto. Dave sentiu que algo estava errado. Ele se abaixou e apanhou uma granada, puxou o pino, e preparou-se para atirá-la, pretendendo criar uma cortina de fumaça para encobrir seu barco.

Mas uma luz piscou como em um flash, e o mundo pareceu explodir. Um combatente tinha atirado em Dave, atingindo sua mão, e a granada, que estava apenas a centímetros de sua face. Ela explodiu.
Em um instante, o corpo de Dave estava pegando fogo; o lado direito de sua face estava destruído. Ele pulou na água e nadou até a margem, onde desmaiou, ainda em chamas. Ele foi resgatado por um helicóptero, e o médico chegou a pensar que ele estava morto. Mas ele resistiu, e foi levado até o Japão, e depois de um tempo de recuperação, foi mandado de volta a San Antonio, Texas.

O soldado na cama ao lado estava sem pele, queimado da cabeça aos pés. Dave ouviu a mulher dele chegar, e jogar a aliança aos pés dele. Ela disse que nunca mais poderia andar com ele na rua. E saiu. Enquanto Dave esperava por Brenda, ele temia o pior. Como poderia ele, um “monstro com a face deformada”, ficar com uma mulher linda como Brenda, muito menos continuar sendo o amor de sua vida?

Ali estava ele – apenas um resquício do homem que tinha beijado Brenda na despedida oito meses atrás. Tudo que ele podia fazer era esperar, e temer. Finalmente, Brenda chegou. Como não conseguia identificar Dave pela aparência, ela se aproximou de sua cama e conferiu o nome escrito no seu prontuário, e a etiqueta de identificação em seu pulso, para ter certeza que era ele. Então, ela se inclinou e o beijou... na face. “Eu quero que você saiba que eu te amo”, ela disse, enquanto olhava para ele, no olho do lado bom de sua face. “Bem vindo a casa, Dave”.

Brenda permaneceu o quanto foi permitido a ela naquele dia, e, através do seu amor, a esperança reacendeu no coração de Dave.

Dave começou a experimentar o amor de um modo que jamais tinha imaginado, desde quando tinha dito o seu “sim”, em 15 de julho de 1967. O “sim” de Brenda se tornou um compromisso diário. Ela realmente foi sincera em seus votos, e os manteve. O corpo de Dave permaneceu desfigurado, e Brenda permaneceu completamente fiel. Deus foi fiel a ambos, e agora, trinta e nove anos depois, Brenda e Dave ainda vivem um maravilhoso amor, com dois filhos, e alguns netos, o fruto duradouro de seu casamento fiel.
O casamento deles foi feito no céu, fortalecido durante a guerra, e para sempre marcado pelos votos fiéis de um amor que queima mais profundamente do que qualquer granada, e que fala mais alto do que qualquer cicatriz.

Traduzido e adaptado do livro “Teologia do Corpo para Jovens” (Theology of the Body for Teens, de Brian Butler, Jason Evert e Crystalina Evert, p. 119-120, Eed. Ascension Press, 2006)